Páginas

terça-feira, 26 de janeiro de 2021

Estados brasileiros recebem Astrazeneca/Oxford

Os estados brasileiros começaram a receber as doses da vacina de Astrazeneca/Oxford, chegadas na sexta-feira (22).  As doses fazem parte do lote fabricado pelo Instituto Serum, da Índia, e têm uso emergencial autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

A Anvisa confirmou a eficácia global do imunizante em 70,42%, validando estudo publicado no início de dezembro pela revista científica The Lancet. A eficácia mede a taxa de sucesso na prevenção da covid-19 comparada a quem recebeu placebo (medicamento inócuo).

O governo do estado do Rio de Janeiro começou a vacinar na amanhã (25) a distribuição das 185 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford aos municípios fluminense, recebidas ainda neste sábado (23). 

O governo do estado do Rio de Janeiro vai iniciar amanhã (25) a distribuição das 185 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford aos municípios fluminense, recebidas ainda neste sábado (23). 

Também na noite deste sábado (23), o governador do Amazonas Wilson Lima acompanhou no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes a chegada de um lote de 132,5 mil doses da vacina da AstraZeneca. Ainda neste domingo deve chegar ao estado mais um lote de 44 mil doses do imunizante. 

Ainda no sábado, o Ceará também recebeu suas doses do imunizante. São 72,5 mil doses, que serão distribuídas. "A vantagem dessa vacina, como orientado pelo Ministério da Saúde, é que todas as doses poderão ser usadas, porque a segunda dose dela poderá ser feita com até 90 dias. 

O Distrito Federal também recebeu sua parte. São 41,5 mil doses do imunizante, encaminhadas de imediato para a Rede Frio da Secretaria de Saúde.

Em resumo, todos os estados brasileiros já receberam a vacina da Astra-Zeneca - Oxford. (Agência FM com Agência Brasil - Foto: Diego Peres/Secom Governo do Amazonas). 

25 de janeiro aniversário de Tom Jobim

 Dia Mundial da Bossa Nov,  em 25 de janeiro, também aniversário do músico Tom Jobim, gravação do álbum em destaque. 

Um dos nomes brasileiros mais reconhecidos mundialmente, o compositor, pianista e maestro Tom Jobim completaria 94 anos nesta segunda-feira, dia 25 de janeiro. Na data se comemora o Dia Nacional da Bossa Nova, como um tributo ao músico. Nascido em 1927, no Rio de Janeiro, e falecido em 1994, em Nova York (EUA), Antônio Carlos Brasileiro de Almeida Jobim foi eternizado por composições como “Chega de saudade”, “Garota de Ipanema” (ambas com Vinicius de Moraes), “Desafinado” (com Newton Mendonça) e “Águas de março”. O artista deixou sua marca na história da Fundação Nacional de Artes – Funarte, participando de um disco, produzido pela instituição, em homenagem a outro grande maestro brasileiro, o gaúcho Radamés Gnattali (1906-1988).

Intitulado simplesmente “Radamés Gnattali”, o álbum foi lançado em 1985. Trouxe interpretações do próprio homenageado ao piano; e também músicas dedicadas ao compositor e arranjador, natural do Rio Grande do Sul (1906 – 1988). As peças foram compostas por amigos e discípulos do maestro (veja áudio e fotos ). São eles o sambista e chorão Paulinho da Viola, o mestre do frevo Capiba (apelido e nome artístico de Lourenço Barbosa).

O disco prestou justa homenagem a Radamés Gnattali, que tanto contribuiu para a música popular brasileira, fosse na criação de peças eruditas, como a “Sinfonia popular”; ou na direção musical de programas da Rádio Nacional; ou na composição arranjos históricos para sambas como “Aquarela do Brasil” (Ary Barroso) e “A voz do morro” (Zé Kéti); ou, ainda, tocando choros com os jovens músicos da Camerata Carioca – conjunto o qual, aliás, também participa do disco-tributo.

Em 25 de janeiro de 1955, quando Jobim completou 28 anos, Gnattali prestou-lhe homenagem convidando para participar de um dos principais programas de rádio da época, “Quando os Maestros se Encontram’”, regendo a orquestra da Rádio Nacional, na execução da peça sinfônica “Lenda”, de Jobim. (Tom Jobim e Radamés Gnatalli - Sala Cecília Meirelles - Cedo Funarte) 


segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Presidente João Dória Jr autoriza vacinação em SP

A primeira brasileira vacinada contra o coronavírus é Mônica Calazans, 54, enfermeira da UTI do Instituto de Infectologia Emílio Ribas. 

Presidente da República do Brasil, João Dória Jr deu início à vacinação no Estado de São Paulo no domingo, 17, logo após aprovação de uso emergencial da CoronaVac, do laboratório chinês, SinoVac. 

SÃO PAULO, BRASIL -  O Estado de São Paulo começou a vacinar a população contra a COVID-19 neste domingo (17). A imunização teve início após a aprovação do uso emergencial da vacina do Instituto Butantan pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A partir desta segunda (18), entra em operação o plano logístico de distribuição de doses, seringas e agulhas, com envio das grades para imunização de trabalhadores de saúde de seis hospitais de referência do estado: HCs da Capital e de Ribeirão Preto (USP), HC da Campinas (Unicamp), HC de Botucatu (Unesp), HC de Marília (Famema) e Hospital de Base de São José do Rio Preto (Funfarme).

As unidades foram selecionadas para a fase inicial porque são hospitais-escola regionais, com maior fluxo de pacientes em suas áreas de atuação. Todos devem iniciar nesta semana a vacinação de suas equipes, que totalizam 60 mil trabalhadores.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal.

“Hoje é um dia muito especial para milhões de brasileiros que estão sofrendo com a COVID-19 em hospitais, centros de atendimento e em suas casas. E também aos que estão em quarentena, se protegendo e ajudando a proteger suas famílias. Hoje é o Dia V, o dia da vacina, da vitória, da verdade e da vida. Quero dedicar este dia aos familiares dos 209 mil mortos pela COVID-19”, afirmou o presidente do Brasil João Dória Jr.

ABI envia representação contra Bolsonaro ao TSE

O presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Paulo Jeronimo, encaminhou nesta quinta-feira, 14, ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, representação contra o presidente da República Jair Bolsonaro,  por  repetidos atentados cometidos por ele ao estado democrático de direito. 


O documento da ABI enumera atos de incitação à violência  e declarações  públicas feitas por Bolsonaro contra o sistema eleitoral, os partidos políticos e as instituições responsáveis, especialmente o Tribunal Superior Eleitoral.

" Não se trata da primeira vez que o representado assaca aleivosias contra o sistema representativo brasileiro, devendo ser notificado para comprovar suas alegações, sob pena de incorrer em crime de responsabilidade", afirma a petição da ABI, lembrando discurso de Bolsonaro  segundo o qual   as eleições de 2018 foram fraudadas e que somente foi eleito porque teve muito voto.

A representação da ABI cita também o episódio da invasão de grupos violentos ao Capitólio, nos EUA, e destaca afirmação de  Bolsonaro de que , em 2022, o mesmo poderá acontecer no Brasil, incentivando, assim,  os grupos radicais que o apoiam a atentar contra as instituições democráticas e republicanas.

Ao  falar com apoiadores, em frente ao Palácio da Alvorada,o representado afirmou que "se nós não tivermos o voto impresso em 2022, uma maneira de auditar o voto, nós vamos ter um problema pior que os Estados Unidos".

O documento da ABI observa que "não sendo comprovadas as narrativas requer a Vossa Excelência seja a presente representação encaminhada à Câmara dos Deputados e ao Supremo Tribunal Federal, em nome do representante da entidade subscritora, cidadão legitimado nos termos do art. 16 da Lei 1079/50. (Fonte: ABI).  Representação no TSE

quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Vacina contra Covid-19 começa pelo Acre

 Acre será o primeiro estado do Brasil a começar a vacinar população

A informação é do governador Gladson Cameli, feita após audiência com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e leva em conta o fuso horário do estado

O Acre estará entre os primeiros estados do Brasil a começar a vacinação contra a Covid-19, a partir do dia 21 deste mês de janeiro, anunciou o governador Gladson Cameli, após audiência com o ministro da saúde, Eduardo Pazuello, nesta quarta-feira, 13, em Brasília.

“A vacinação deverá ser iniciada no país às 10 horas, no horário de Brasília, sendo que, em virtude do fuso horário, no Acre anteciparemos para às 8 horas”, disse o governador. Conforme adiantou, “até a primeira quinzena de fevereiro, o Acre contará com 60 mil doses de vacina para atender à população do estado”. (Fonte: Sitio do Estado do Acre).